Mas ou embora? Qual é a diferença?
 



Dica de Escrita

Mas ou embora? Qual é a diferença?

Neiva Tebaldi Gomes


Consideremos a seguinte situação: você é candidato a uma vaga de trabalho e está aguardando o resultado do processo de seleção. Haveria diferença de sentido entre uma ou outra mensagem?

a) Você é, sem dúvida, o candidato mais qualificado e mais experiente, mas, no momento, estamos dando preferência a pessoas mais jovens.

b) Embora você seja, sem dúvida, o candidato mais qualificado e mais experiente, no momento, estamos dando preferência a pessoas mais jovens.

Do ponto de vista da informação, não há nenhuma diferença. Mas há entre as duas mensagens um efeito de sentido diferente. Com a primeira, cria-se uma expectativa positiva (Você é, sem dúvida, o candidato mais qualificado e mais experiente,), que é frustrada com a introdução de mas. A segunda mensagem, ao iniciar com embora, não deixa margem para nenhuma expectativa.

Trata-se, pois, de duas conjunções que ligam orações de conteúdos que, de alguma forma, se opõem, mas que produzem efeitos de sentido diversos. Quanto à classificação gramatical, MAS é uma conjunção adversativa (que liga orações que expressam alguma adversidade, alguma oposição); EMBORA é uma conjunção concessiva (que introduz uma oração de sentido divergente em relação ao de outra, denominada principal).

A conjunção MAS, por ser muito empregada para contrapor ideias e argumentos, é a que mais atenção tem recebido destaque em estudos que focam a argumentação linguística. Os próprios dicionários apresentam uma descrição exaustiva dos usos de MAS. Apenas a título de exemplificação, vejamos parte da descrição (com algumas adaptações) que o Dicionários HOUAISS de Língua Portuguesa apresenta:

MAS: Conjunção adversativa, que introduz o segmento que denota uma oposição ou restrição ao que foi dito no segmento anterior. Tem sentido semelhante a contudoentretantotodaviaapesar dissonão obstante.  Entre outras, o dicionário apresenta as seguintes funções de MAS:

1após uma negativa estabelece (ou reestabelece) a verdade sobre determinado assunto (Não o fez, mas gostaria de tê-lo feito.);

2. classifica o que foi dito como irrelevante, ou contrasta uma interpretação (Era negligente e perdulário, mas tinha um coração de ouro.);

3. depois de sim ou não, acrescenta um comentário para indicar que esse sim ou esse não não expressam perfeitamente o que se quis dizer e que algo mais precisa ser dito (Liberdade sim, mas com limites.);

4. indica que se vai passar para outro assunto diferente (A alta do dólar é o assunto do dia, mas vamos passar primeiro ao noticiário local.);

5. introduz uma réplica feita a alguém, quando se deseja indicar relutância, descrença, recusa ou protesto (– Agradeço, mas não posso aceitar. – Mas como? Você vai recusar minha oferta?);

6. depois da referência a duas coisas parecidas, menciona as características que as torna diferente uma da outra. (São ambos esquerdistas, mas um por convicção e o outro por conveniência.);

7. seguindo um pedido de desculpas pelo que se vai dizer, declara o que se julga necessário. (Desculpe a franqueza, mas suas perguntas são muito tolas.).

Diferentemente de MAS, a conjunção EMBORA tem, nos dicionários, uma descrição mais sucinta. Vejamos:

EMBORA: conjunção concessiva; tem sentido mais ou menos equivalente a mesmo queapesar deainda que. (Embora tardiamente, arrependeu-se.). O dicionário apresenta também o uso de muito embora com sentido de se bem queconquanto (Realizei a doação, muito embora ela não tenha comparecido ao ato.). A descrição de embora, nos dicionários,vai pouco além disso.

Em relação ao uso dessas duas conjunções, pode-se dizer que tanto MAS quanto EMBORA têm papel de destaque na articulação de ideias, exercendo a função de “operadores argumentativos” (também conhecidos como articuladores textuais ou marcadores discursivos), ou seja, elementos da língua que indicam a orientação que se quer dar à argumentação em um texto.  Em outras palavras, são elementos que evidenciam a intenção dos enunciados. Entre outros campos de estudos, são tema da Semântica Argumentativa.

Ainda em relação ao uso, percebe-se que EMBORA relaciona apenas orações, enquanto MAS pode relacionar duas orações, dois períodos ou dois segmentos maiores, como dois parágrafos. Em um texto de opinião, por exemplo, é possível iniciar um parágrafo com MAS, desde que apresente uma ideia ou argumento que se contrapunha ao do parágrafo anterior. A escritora Clarice Lispector inicia o conto “O Búfalo” com a frase “Mas era primavera”. É claro que se trata de um texto literário em que a autora, com este MAS, põe em contraste um estado de espírito (um sentimento de vingança, de ódio) aos efeitos da primavera.


Cadastre-se no portal Escrita Criativa para receber dicas de escrita, artigos e informações de concursos

 

 

Comentários:

Envie seu comentário

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação:
Repita os caracteres "002107" no campo.