Preposição antes de pronome relativo
 



Dica de Escrita

Preposição antes de pronome relativo

Neiva Tebaldi Gomes


Na linguagem falada, é muito frequente a omissão da preposição (quando necessária) que deveria preceder o pronome relativo, como nos seguintes exemplos:

A fruta que mais gosto é a maçã.

A única coisa que necessito é tempo.

São promessas que podemos duvidar.

“Oferecemos um conteúdo que você pode confiar.”

Trata-se de um uso aceitável na fala. Mas na escrita, que normalmente exige um padrão mais formal, o “que” dessas frases deve vir precedido pela preposição exigida pelo verbo: gostar de, necessitar de, duvidar de, confiar em.

A fruta de que mais gosto é a maçã.

A única coisa de que necessito é tempo.

São promessas de que podemos duvidar.

Oferecemos um conteúdo em que você pode confiar.

Observação: Como entrou a preposição, o pronome que pode ser substituído por o qual, que flexiona para concordar com seu antecedente:

São promessas das quais temos que desconfiar.

Oferecemos um conteúdo no qual você pode confiar.

Lembrete: Sempre que tivermos orações construídas com pronomes relativos (que, quem, o qual…), é preciso verificar a regência do verbo. Se o verbo exigir um complemento preposicionado, a preposição “volta atrás” e se aloja antes do pronome relativo.


Texto originalmente publicado no blog Scriptura e getilmente cedido pela autora


Cadastre-se para receber dicas, artigos e informações de concursos

 

 

Comentários:

Uma dica importante para não quebrar a harmonia semântica de uma frase: a observância da regência do verbo na presença do pronome relativo.

Gerson de Ramos Sebaje, Pelotas-RS 30/07/2020 - 14:14

Envie seu comentário

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação:
Repita os caracteres "151610" no campo.