O que é POETRIX? Como escrever?
 



Dica de Escrita

O que é POETRIX? Como escrever?

Escrita Criativa


Poetrix é uma nova forma de fazer poesia que possui algumas regras específicas. Foi criado por Goulart Gomes em 1999 e desde então vem ganhando seguidores. Ana Mello e Mário Ulbrich, autores do livro “Desafio Poetrix” , explicam algumas peculiaridades do gênero na entrevista abaixo.

Escrita Criativa: O que é poetrix?

Mário: Poetrix é um poema contendo um título e três versos, formando uma única estrofe. Os três versos devem dispor de um máximo de de trinta sílabas poéticas

Ana: É uma modalidade de poesia minimalista criada por Goulart Gomes. Constitui-se de uma estrofe com três versos, com um máximo de trinta sílabas métricas. O título não faz parte da contagem de sílabas, mas é indispensável pois complementa e dá sentido ao texto.

Escrita Criativa: Qual a diferença entre poetrix e haicai? E entre poetrix e miniconto?

Mário: Entre poetrix e haicai existem diversas diferenças.
- O haicai não pode ter título, enquanto que o poetrix deve ter título.
- O haicai se refere ao tempo presente; poetrix pode se referir a presente, passado e futuro.
- o haicai gira em torno de assuntos da natureza. O poetrix aceita qualquer tema.
- O poetrix tem um limite de sílabas (30), mas não é rígido em métrica. Os versos podem ter número de sílabas diferenciados, desde que a soma de silabas dos três obedeça o limite de trinta (o título não conta para a formação do número de sílabas). O haicai tem métrica rígida; o primeiro e o terceiro verso, cinco sílabas cada um. O segundo verso sete. No total do haicai são 17 sílabas apenas.

Ana: O haicai não tem título, não trata de temas urbanos e tem um número fixo de sílabas métricas, 5-7-5. Além de outras diferenças mais sutis. O miniconto é prosa e não poesia, mas é também minimalista e constituído de muito subtexto.

Escrita Criativa: Quem escreve poesia terá mais facilidade para escrever poetrix?

Mário: Acredito que sim. Ouvi em algum lugar que escrever textos implica na preocupação com a formação da frase. A poesia é um jogo de palavras. Não é obrigatória na poesia nem a métrica, nem a rima. A sonoridade, harmonia, musicalidade é importante. Isto se aplica ao poetrix.

Ana: Com certeza, pois entende bem de metáforas, de sonoridade e de rimas. Consegue condensar melhor suas ideias com poucas palavras e já trabalha com conceitos utilizados na poesia, como sílabas métricas, estrofes, versos, rimas internas e outros.

Escrita Criativa: Como encaixar uma ideia em exatos três versos?

Mário: Encaixar uma idéia em três versos é o desafio do poetrix. Um recurso poderoso é utilizar o título, que não concorre para a contagem das sílabas, para encaminhar a mensagem

TEU OLHAR
no espaço sem fim
luz estelar
à procura de mim

Ana: Praticando. Escrevendo por alegria, lendo outros poetrixtas. Primeiro começando com uma ideia, colocando assim como surge no papel ou digitando, depois aos poucos ir fazendo cortes, substituindo palavras repetidas por sinônimos. Costumo trabalhar com vários dicionários ao meu lado, especialmente com um de rimas, pois adoro usá-las.

Escrita Criativa: Poetrix tem que rimar?

Mário: Poetrix não necessita ter métrica, nem rima. Mas isto depende do poeta. Eu como regra rimo dois versos. À vezes um verso com o título.

Ana: Não precisa rimar, mas pode rimar. Alguns poetrixtas sempre escrevem com rimas, outros não. Não deve ser a rima que dará beleza aos versos, mas o trabalho com as palavras.

Escrita Criativa: O título é obrigatório? Qual a importância dele?

Mário: O título é obrigatório. Sua importância já foi explicada nas respostas anteriores.

Ana: Sim, é obrigatório e deve complementar o poema. Muitas vezes funciona com verbete de dicionário, os versos são como uma definição, em outras completa o sentido, conduz o leitor a um olhar que o poeta quer apontar.

Exemplo:

AO LUAR
pegadas na rua
no silêncio da noite
tua alma anda nua

Escrita Criativa: Na bula do poetrix, diz para não confundirmos poetrix com “frase de para-choque de caminhão”. Como achar a linha tênue entre fazer um poetrix inteligente e acabar no senso comum?

Mário: O poetrix procura a leveza, exatidão, concisão, surpresa, de acordo com as propostas de Ítalo Calvino. Também e principalmente a mudança da ideia inicial dentro de um mesmo poema, ou seja, um segundo e/ou terceiro verso, contrariando a ideia do primeiro.

Ana: Acredito que com a prática, a leitura de outros poetrixtas mais experientes. Com o desenvolvimento da sensibilidade. Como em qualquer gênero literário, é preciso ler muito e exercitar mais ainda. Não como uma obrigação, mas com disciplina.

Escrita Criativa: O poetrix, por ter sua forma compacta, acaba sendo mais popular no mundo digital e dinâmico que vivemos hoje? Ele é uma consequência desse mundo?

Mário: O poetrix atende aos princípios da minimalização. O minimalismo se ocupa de fazer uso de poucos elementos fundamentais como forma de expressão, tanto nos movimentos culturais quanto artísticos ou científicos, nos dias atuais.

Ana: Sim, ele foi criado na internet, com todos os conceitos de rapidez, concisão e fugacidade agregados a ela. Funciona muito bem como uma isca literária, como os minicontos.

Algumas pessoas que a princípio não se sentem seguras para escrever textos maiores, são cativadas pela possibilidade de um terceto ou miniconto facilitar sua escrita. Acontece muito com os adolescentes. Depois de fisgados, partem para textos maiores e exploram também a complexidade real do minimalismo.


Conheça a BULA POETRIX


O hai-kai é uma pérola; o poetrix é uma pílula

Goulart Gomes

Com o objetivo de melhor definir o POETRIX, estabelecendo critérios quanto à sua forma e conteúdo que possam orientar mais precisamente os seus autores - os poetrixtas – a Coordenação Geral do Movimento Internacional Poetrix (MIP) divulg esta BULA POETRIX, conjunto de orientações para o aperfeiçoamento e uniformização deste gênero literário.

1 POETRIX – Informações Técnicas

CONCEITO

Poetrix (s.m.): poema com um máximo de trinta sílabas métricas, distribuídas em apenas uma estrofe, com três versos (terceto) e título.

FORMAS MÚLTIPLAS

São criadas em contextos comunicativos e constituídas como derivações do POETRIX; sua elaboração tem como características básicas o dialogismo, a intertextualidade e a polissemia da linguagem. Identificadas e reconhecidas pelo MIP como Duplix, Triplix e Multiplix são mesclagens de dois ou mais poetrix que se compõem com a participação obrigatória de variados autores e com suas poéticas formando sentidos complementares entre si (individualidade-interação-universalidade).

2 CARACTERÍSTICAS DO POETRIX

2.1 O poetrix é minimalista, ou seja, procura transmitir a mais completa mensagem em um menor número possível de palavras e sílabas.

2.2 O título é indispensável. Ele complementa e dá significado ao texto. Por não entrar na contagem de sílabas, permite diversas possibilidades ao autor.

2.3 Não existe rigor quanto à métrica ou rimas, mas o ritmo e a exploração da sonoridade das sílabas é desejável.

2.4 Metáforas e outras figuras de linguagem, assim como neologismos, devem ser elementos constitutivos do poetrix.

2.5 É essencial que haja uma interação autor/leitor provocada por mensagens subliminares ou lacunas textuais.

2.6 Os tempos verbais – pretérito, presente e futuro - podem ser utilizados indistintamente.

2.7 O autor, as personagens e o fato observado podem interagir criando, inclusive, condições supra-reais, cômicas ou ilógicas (nonsense).

2.8 O poetrix deve promover a multiplicidade de sentidos e/ou emoções, não se atendo necessariamente a um único significado.

3 COMPOSIÇÃO

O POETRIX deve ser composto por ao menos um dos seguintes elementos, inspirados nas Seis Propostas para o Próximo Milênio, de Ítalo Calvino:

3.1 CONCISÃO: o mínimo é o máximo. O importante é dizer muito, falando pouco. O poetrix é uma pílula, que tem seu propósito determinado; é um projétil em direção ao alvo;

3.2 SALTO: é a metamorfose da idéia inicial, provocada no segundo ou terceiro verso da estrofe, acrescida de outros significados, permitindo uma nova perspectiva de compreensão do poetrix;

3.3 SUSTO: é o elemento inusitado e imprevisível que provoca surpresa ao leitor; é a fuga do lugar-comum, da obviedade, que desconstrói e amplia horizontes, mostrando outros caminhos, possibilidades, contextos;

3.4 SEMÂNTICA: exploração da polissemia de determinadas palavras ou expressões, permitindo a possibilidade de variadas leituras ou interpretações;

3.5 LEVEZA: jeito multifacetado de utilização da linguagem. Nesse sentido, o uso de imagens sutis deve trazer leveza, precisão e determinação ao poetrix e, com isso, provocar, no leitor, a abertura de renovadas construções mentais impregnadas de imprecisões e indeterminações, de novas possibilidades de interpretar a realidade, de desanuviar a opacidade do mundo.

3.6 RAPIDEZ: máxima concentração da poesia e do pensamento; agilidade, mobilidade, desenvoltura; busca da frase em que todos os elementos sejam insubstituíveis, do encontro de sons e conceitos que sejam os mais eficazes e densos de significado;

3.7 EXATIDÃO: busca de uma linguagem que seja a mais precisa possível como léxico e em sua capacidade de traduzir as nuanças do pensamento e da imaginação;

3.8 VISIBILIDADE: qualidade de expressar e pensar imagens, colocando visões em foco; reflexo da qualidade imagética do poetrix, em cor, sombra, contorno e perspectiva; é o substantivar da poesia;

3.9 MULTIPLICIDADE: expressão da pluralidade de possibilidades intertextuais e polissêmicas, provocando interações e criando novas formas;

3.10 CONSISTÊNCIA: através da fuga das obviedades, dos lugares-comuns, buscando expressar-se de forma original. O poetrix rompe, naturalmente, com antigos esquemas simplificantes e reducionistas e investe num sistema complexo, cujas categorias são opostas à simplicidade: a complexidade, a desordem e a caoticidade, próprias de sistemas não-lineares, capazes de realizar trocas com o meio envolvente.

4 INDICAÇÕES:

4.1 EXPLORAR O PODER DO TÍTULO,. para o qual não há limite de sílabas. Uma das grandes vantagens do poetrix é a existência do título, que habitualmente não existe no hai-kai .

4.2 MINIMALIZAR. Eliminar todas as palavras que estão sobrando. Escrever um poetrix é lapidar um diamante. Raramente um texto está pronto em sua primeira versão. É necessário, sempre, aprimorá-lo.

4.3 PESQUISAR. Uma idéia original pode ser enriquecida com informações complementares, ampliando-a em conteúdo e significado.

4.4 UTILIZAR FIGURAS DE LINGUAGEM. Em todas as formas poéticas, o uso de figuras de linguagem, metáforas, tropos e imagens enriquecem bastante o texto.

4.5 PERMITIR QUE O NÃO-DITO FALE. Evite menosprezar a inteligência e a perspicácia do leitor. O poetrix deve instigá-lo a buscar significados nas entrelinhas, a descobrir outros contextos e sentidos.

5 CONTRA-INDICAÇÕES:

5.1 EVITAR AS ORAÇÕES COORDENADAS. Um poetrix não é uma frase fragmentada em três partes.

5.2 NÃO CONFUNDIR POETRIX COM HAI-KAI. Para isso, é importante conhecer, também, os fundamentos do hai-kai, que tem suas próprias características.

5.3 CONJUNÇÕES EMPOBRECEM O POETRIX: mas, contudo, porém, todavia, não obstante, entretanto, no entanto, pois, geralmente não servem para nada em um poetrix, podendo ser eliminadas sem prejudicar o texto.

5.4 NÃO FORÇAR RIMAS. Poetrix não é trova. Às vezes pode-se dispensar completamente uma rima utilizando-se bem o ritmo, a sonoridade e a riqueza semântica das palavras.

5.5 POETRIX NÃO É PROVÉRBIO, MUITO MENOS DEFINIÇÃO. Muito menos, frase de parachoque de caminhão.

Coordenação Geral do Movimento Internacional Poetrix


Clique aqui para ser avisado de novas dicas por e-mail


Cadastre-se no portal Escrita Criativa para receber dicas de escrita, artigos e informações de concursos

 

 

Comentários:

Olá! Quando teremos curso de poetrix?

Leilane, Bh 06/01/2019 - 21:18

Envie seu comentário

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação:
Repita os caracteres "364410" no campo.