4 dicas para desbloqueio criativo
 



4 dicas para desbloqueio criativo

por Marcelo Spalding

1 - Planeje antes de escrever

Sempre digo que a escrita se dá em 3 etapas: a primeira é o planejamento, pensar na história, no personagens, de repente até esquematizar isso no papel; a segunda é a escrita propriamente dita; a terceira é a releitura, que deve ser feita com distanciamento da fase de escrita. Então muita gente se sente travada porque abre o Word (ou similar), vê um cursor na página em branco mas não tem nem ideia por onde começar. Ocorre que a pessoa não deveria abrir o Word para escrever o texto antes de ter um planejamento, um esqueleto, um esquema. Imagine um engenheiro começar a construir um prédio sem um projeto e uma planta em mãos?

2 - Escreva sobre o que te faz sangrar

A autora Lucy McCormick Calkins diz: "Escreva sobre um tópico que lhe queime por dentro. Escolha um tópico que seja tão importante, para você, que possa senti-lo em seu corpo.” Então deixe-se invadir pelos temas que o importunam, seja pessoais ou sociais. Isso não significa, claro, ficar preso à realidade, a sua própria vida, mas a realidade e sua própria vida, seus medos, seus desejos, podem se tornar ponto de partida, matéria prima para a criação. E depois que você começa a escrever, a mágica acontece e realidade e ficção se misturam de tal forma que o leitor não saberá de onde partiu sua criação (e nem precisa mesmo!).

3 - Leia

Há uma contradição hoje que mais pessoas afirmam gostar de escrever do que gostar de ler. Eu não sou contra o fato de que todos queiram escrever, pelo contrário, escrever é direito e não dever. Mas ler é fundamental. Como diria meu amigo e poeta Dilan Camargo, "quem não lê, não escreve; quem lê pouco, escreve pouco; quem lê mal, escreve mal". Então transformar esse gosto pela leitura em escrita é fundamental, mas requer coragem, desprendimento e atenção aos aspectos técnicos nas suas leituras. Nesse sentido, oficinas, cursos ou livros sobre escrita ajudam muito, pois eles nos fazem olhar para a ficção, para as narrativas, para além da história, olhar também aquele esqueleto, aquela construção por trás das palavras e da história.

4 - Use as mãos (ou os pés)

Há um livro chamado Roube Como Um Artista - 10 Dicas Sobre Criatividade, de Austin Kleon, que dá a seguinte dica: USE AS MÃOS. A tese dele é que ao usarmos as mãos para pintar, desenhar, bordar, cozinhar, plantar, etc, ativamos uma área diferente do cérebro daquela usada diante do computador. Não entendo nada sobre áreas do cérebro, mas isso fez sentido para mim, e percebi que ao brincar de Lego com meus filhos costumo ter muitas ideias (ou destravar muitas coisas na minha história). Além disso, ao fazer exercício físico, especialmente caminhadas, também costumo ter muitas ideias (por isso brinquei com o use os pés). A questão aqui é se afastar do computador e fazer algo lúdico mas diferente, para ativar outras áreas do cérebro. Aliás, foi isso que me inspirou a criar Escrita Criativa - O Jogo. Fiz questão de ter tabuleiro, cartas, dado, bonecos, pois isso tudo estimula a pessoa a criar e planejar sua história ANTES de se sentar para escrever de fato.

 

 

Comentários:

Envie seu comentário

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação:
Repita os caracteres "244607" no campo.
  

 

Voltar