Posso tá ajudando?
 



Diálogos

Posso tá ajudando?

Felipe Martins Sardinha


- Olá, boa tarde. Obrigada por ligar. Meu nome é Vanessa. Como posso tá ajudando?

- Oi, boa tarde, Vanessa, tudo bom? Meu nome é José e estou com um probleminha aqui no aparelho da minha televisão. Pode ajudar?

- Claro, senhor. Pode tá confirmando o seu CPF?

- O meu o quê? Não entendi o que disse.

- Seu CPF, senhor. Pode estar me passando?

- Meu CPF? Ah, sim. Só um segundo. – Abri a gaveta e puxei de dentro minha carteira de motorista, já que não sabia de cor.

- Tudo bem, senhor. Estarei aguardando.

- Pronto, aqui está. 2, 8, 2, 3, 4, não, 4 não, 3 de novo, 1, 6, 6, 8, 0, 1. Isso mesmo.

- Então é: 2, 8, 2, 3, 4, 3...

- Não, moça. Não tem o último 3. É 2, 8, 2, 3, 3, 1, 6, 6, 8, traço, 0, 1.

- Ok, ok. Obrigado, senhor. Qual seria o problema?

- Eu não consigo ligar a televisão. Tem que apertar o botão verde, não tem? – respondi enquanto pressionava insistentemente o botão no controle remoto.

- O senhor tem que estar seguindo o passo a passo do manual. O senhor tá com o manual em mãos?

- Não tenho, moça. Minha esposa deve ter jogado fora. Não encontrei na gaveta que guardo todos os manuais.

- Tudo bem, senhor. Estarei lhe passando o procedimento por aqui, então. O senhor quer estar anotando?

- Sim, só um segundo. – Deixei o telefone em cima da mesa enquanto corri até a escrivaninha e peguei uma folha em branco e uma caneta. – Pronto, tô com a folha aqui.

- Ótimo, senhor. Então o primeiro passo é o senhor tá apertando o botão verde junto com o botão menu e segurar os dois por cinco segundos.

- Tá, então é o botão verde junto com o menu. Só um pouco. – Coloquei o telefone entre o ombro e a orelha, larguei a folha na mesa e apertei os botões no controle.

- Sem problemas, senhor.

- Pronto, estou apertando. Não acontece nada.

- Não tá acontecendo nada, senhor? Tem certeza? Poderia tá tentando de novo?

Mais uma vez, apertei os botões e esperei os cinco segundos.

- Não funciona, moça. Esse comando está errado.

- Senhor, impossível, esse procedimento tem que funcionar. Sempre funcionou com todos que tem estado ligando.

- Mas comigo não tá – respondi já aumentando o tom de voz.

- Poderia estar tentando de novo?

- Tá bom, tá bom! – bufando, apertei os botões novamente com mais força ainda.

- Conseguiu, senhor?

- Não deu certo! Eu disse. Vanessa, você não está me ajudando!

- Senhor, por favor, se acalme. Isso é muito estranho – de repente a voz da moça sumiu.

- Alô, Vanessa?

- Oi, senhor, me desculpa. Olha, estava verificando uma opção. Além desse procedimento, temos um outro. Mas não acho que vai estar ajudando, senhor.

- E o que seria?

- Seria estar verificando se o aparelho da televisão está na tomada. Mas claro que não faz sentido para o senhor.

Me agachei no tapete da sala para verificar o aparelho. Arregalei os olhos. Peguei o cabo de energia na mão e inseri na tomada.

- Senhor? Senhor está aí?


***

Felipe Martins Sardinha nasceu em São Paulo em 1991. Formado em Engenharia de Produção e pós-graduação em Administração, trabalha na área comercial de uma grande empresa. Sempre gostou de livros e recentemente se apaixonou pela escrita. Pelo sonho de ter um livro publicado, fez o curso da Oficina Literária e é o mais novo aluno da Plataforma de Formação de Escritores.


Cadastre-se no portal Escrita Criativa para receber dicas de escrita, artigos e informações de concursos

 

 

Comentários:

hahahaha adorei, o uso do gerúndio assim é péssimo mesmo

Mayara Seffrin, Itajaí/SC 09/09/2020 - 14:51

Este garoto tem futuro na arte da escrita. Parabéns FELIZ.

Antônio Carlos, São Paulo 11/05/2020 - 21:18

Envie seu comentário

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação:
Repita os caracteres "273310" no campo.