Dica de Escrita

Heróis Pulp

Duda Falcão


Este texto faz parte da Oficina Online Escrevendo Literatura Fantástica, de Duda Falcão

Vamos saltar da antiguidade grega para o início do século XX e comentar sobre alguns heróis da literatura pulp surgidos nos anos 10, 20 e 30. É importante recordar que pulp eram revistas baratas, confeccionadas com folhas feitas a partir da polpa de celulose. Vale dizer também que outros suportes, como jornal, revistas em quadrinhos e até mesmo o rádio começaram a disseminar narrativas de heróis aventureiros e destemidos. Vamos destacar alguns exemplos:

Tarzan, criado pelo escritor Edgar Rice Burroughs, apareceu pela primeira vez em 1912 na revista pulp All-Story. Foram mais de 24 livros e contos publicados sobre o herói.

Tarzan era filho de aristocratas ingleses que desembarcam em uma selva africana após um motim. Com a morte de seus pais, Tarzan é criado por macacos ("manganis", na linguagem dos símios, criada por Burroughs) na África. Seu verdadeiro nome é John Clayton III, Lorde Greystoke. Tarzan é o nome dado a ele pelos macacos e significa "Pele Branca". Tarzan mostra habilidades físicas superiores às de atletas e pode se comunicar com os animais.

Edgar Rice Burroughs criou também John Carter na mesma época de Tarzan. O herói protagoniza o romance “Uma princesa de Marte”. John Carter é um militar que participou da Guerra Civil americana, de uma maneira misteriosa ele é transportado para Marte onde passará por diversas aventuras enfrentando e se aliando aos marcianos. Carter quando chega em Marte é capaz de feitos extraordinários e de se comunicar telepaticamente com os habitantes do planeta.

Outro personagem de destaque do período foi Zorro, criado em 1919, por Jonhston McCulley. O herói era apresentado com o alter-ego de Don Diego de La Vega, um jovem membro da aristocracia californiana.

Zorro vestia uma máscara e uma capa negra, empunhava uma espada e cavalgava um cavalo chamado "Tornado".

Sem o disfarce, ele simula ser um homem que se acovarda diante de situações de perigo. O herói costumava assinar com a sua espada a letra Z em paredes e nas roupas de seus inimigos. A identidade de Zorro é revelada somente ao final da história que originalmente tinha 5 capítulos, os quais foram publicados na revista All-Story Weekly.

Buck Rogers, criado por Anthony Rogers, em 1928, também foi importante para o período. Suas aventuras eram publicadas em tirinhas diárias nos jornais.

O personagem passou a aparecer nas revistas da Famous Funnies na década de 30, mas só ganhou sua própria revista em 1940.

Buck Rogers era um veterano da Primeira Guerra Mundial que foi exposto a um gás radioativo deixando-o em suspensão animada. Ele desperta no ano de 2419 em um mundo repleto de novas tecnologias.

O sombra é outro personagem que merece ser mencionado. Ele foi criado originalmente para os programas de rádio na década de 1930 por Walter Brown Gibson que utilizava o pseudônimo de Maxwell Grant.

O sombra era um impiedoso vingador mascarado, assim como Zorro preservava uma identidade secreta, sendo na realidade, o milionário Lamont Cranston. O Sombra possuía um nariz aquilino e ameaçadores olhos negros. Sempre vestia um chapéu, um casaco e uma capa preta. Cobria a boca com um lenço vermelho e usava um anel com um rubi enorme chamado Girassol.

Suas armas consistiam em duas pistolas e tinha pontaria incrível. Além disso, podia controlar a mente de outros humanos através da hipnose, arte que aprendeu no Oriente permitindo que pudesse desaparecer diante dos olhos dos inimigos.

Um personagem que gosto muito, desse período, é Conan, criado por Robert E. Howard, em 1932, tendo sua estreia no conto “A fênix na espada”.

As histórias do Cimério se passam na Era Hiboriana, depois da destruição de Atlântida e antes do surgimento das civilizações antigas do ocidente e do oriente.

Conan enfrentou feiticeiros, bruxas, demônios e entidades cósmicas em suas aventuras.

Em 1933, foi criado por George Washington Trendle e depois desenvolvido por Fran Striker, o Cavaleiro Solitário, que assim como o Sombra surgiu em aventuras narradas no rádio.

Em 1938, a personagem ganhou uma série de tirinhas diárias nos jornais, mas sua revista solo só chegou às bancas 10 anos mais tarde, pela Dell Comics em 1948.

Apesar do nome, o Cavaleiro Solitário estava sempre acompanhado do índio Tonto. Tonto na língua original da tribo do personagem significava “selvagem”. Em espanhol, Tonto significa "estúpido" ou "ignorante“, para eliminar essa contradição na tradução, em países de língua espanhola, o seu nome foi mudado para “Toro”.

Um personagem misto de aventureiro e homem da ciência foi Doc Savage, criado em 1933, pelo empresário Henry W. Ralston e o editor John L. Nanovic da Street and Smith Publications. Doc Savage teve sua mente e corpo treinado para se tornar um super-humano com resistência e força aumentadas, além de ter um vasto conhecimento científico, memória fotográfica, habilidades marciais e ser um gênio do disfarce.

A revista Doc Savage teve longa duração, com 181 edições lançadas desde 1933 até 1949.

Em 1934, surgiu Flash Gordon, criado por Alex Raymond para competir com as histórias de Buck Rogers em tirinhas de jornal.

A narrativa começa quando cientistas descobrem que um planeta está em rota de colisão com a Terra. O Doutor Hans Zarkov cria um foguete para que Flash Gordon vá até o planeta Mongo e descubra uma maneira de evitar o choque.

E temos mais heróis como Mandrake, criado em 1934, e Fantasma, criado em 1936, pelo mesmo autor, Lee Falk. Mandrake tinha poderes de telepatia, metamorfose, teletransporte, telecinese e hipnose capaz de derrotar os mais diversos vilões: extraterrestres, mafiosos e cientistas loucos. Fantasma, por sua vez, outro herói mascarado, superava seus inimigos com inteligência e coragem.
Depois de apresentar uma série de heróis da primeira metade do século XX, pode-se observar que os heróis da nossa época, de alguma maneira já estão sendo forjados na literatura pulp. Luke Skywalker, de Star Wars, por exemplo, é inspirado em narrativas de space ópera. Os heróis das Crônicas de Gelo e Fogo, de George Martin, em narrativas de espada e feitiçaria e de alta fantasia. Heróis surgidos em HQs como Spiderman ou grupos de heróis como A Liga da Justiça ou os Vingadores também bebem dessa vertente pulp e dos heróis clássicos da antiguidade.

Os heróis, sem dúvida, precisam combater o mal, enfrentar monstros para que suas façanhas heroicas prevaleçam. Mas nem sempre um herói vence o mal, principalmente quando saímos de gêneros de fantasia e ficção científica para entrarmos no gênero do horror. No campo do horror, muitas vezes os monstros derrotam os protagonistas não deixando que eles ascendam ao nível do herói.

Oficina Online Escrevendo Literatura Fantástica, de Duda Falcão


Cadastre-se para receber dicas, artigos e informações de concursos

 

 

Comentários:

Envie seu comentário

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação:
Repita os caracteres "593308" no campo.