Contos

O entregador de flores

Eduardo Medeiros


Todos os dias, ao sair da aula, Benjamim corria em direção à floricultura de dona Carminha, a bondosa senhora, que lhe dava um prato de comida junto a uma lista de entregas.

Era o prato esvaziar, o que ocorria em instantes, para as flores serem vistas, saindo em disparada pelas ruas. A velocidade somente diminuía ao passar em frente as lojas de brinquedos. Ali o nariz encostava no vidro e a boca seguia o movimento dos olhos. Era o mais próximo que chegava de qualquer brinquedo. Logo a realidade o conduzia até a próxima campainha.

Na ponta dos pés, apertava o botão e aguardava a porta abrir. Era sempre a mesma expectativa: assim que entregava as flores, observava por entre elas o olhar, torcendo para que o brilho fosse grande o suficiente para vir acompanhado de uma gorjeta.

Era dia das crianças, o dia em que as ruas apertavam e as vitrines não tinham lugar para ele.

Estava exausto, já era fim da tarde, e a última entrega tinha as flores mais pesadas que já carregara. Os pés doloridos, machucados pelas pedras soltas das calçadas, faziam o pensamento fugir para a sopa, preparada pela mãe com os trocados que levava.

Antes de tocar a campainha, ouviu um canto vindo por de trás da porta. Possuía uma suavidade misturada com carinho que ele jamais ouvira. Colocou o ouvido na fechadura, fechou os olhos e aguardou as últimas notas.

Ao soar a campainha, um olhar envelhecido apareceu a sua frente. Benjamim esticou os braços com dificuldade, entregando-lhe o buquê.

Não entendendo o que estava acontecendo, ela abraçou as flores, pegando a carta que as acompanhava. As mãos se movimentavam como o vento que soprava, os olhos marejaram quando viu o nome à frente do envelope. Acariciou aquelas letras como se um rosto ali estivesse, abrindo vagarosamente uma história, que seguida por lágrimas distantes retornava. Benjamin já não pensava na costumeira recompensa, não conseguia desgrudar daqueles olhos que modificavam a cada palavra balbuciada.

Ao terminar a carta, a moça respirou as flores e abraçou apertado o menino, que chorava em seu ombro. Virou o pequeno rosto de olhos sem brilho e apontou para a maior loja de brinquedos da cidade.

***

Eduardo Medeiros nasceu em Porto Alegre(RS). Foi músico, membro da Orquestra Profana (grupo pioneiro em executar a música erudita com instrumentos não convencionais, guitarras, baixo e sintetizadores). É funcionário da Prefeitura Municipal de Porto Alegre desde 1994. Com intuito de transformar as histórias contadas aos filhos em uma realidade escrita, está participando do Curso livre de Formação de Escritores da Metamorfose. E-mail: eddumedeiros@globo.com


 

 

 

Comentários:

Meu Amado Irmão Eduardo sempre demostrou sua sensibilidade através da música, dedilhando um cavaquinho, um violão ou guitarra, originada da mistura de música clássica (influência do nosso Pai), que ouvia aos 6 anos, quando colocava o bolachão no toca-discos, curtindo seu bico, ou um samba e Chorinho (do nosso Tio) , onde se interessou pelos instrumentos de corda, com pitadas de U2 na adolescência, bem mais tarde começou sua jornada em pequenos contos, onde dos seus dedos, sua Alma de Poeta encontrou vertente e manifestação na escrita. Segue este Caminho Iluminado, pois tens o Dom das palavras que brotam do Coração e nos tocam de maneira especial.

Marcelo Medeiros, RS 07/10/2019 - 12:55

Quem diria que aquele menino cuja lição escolar era fazer o resumo da leitura de um livro. Nao leu e o trabalho foi a cópia da última página com o epílogo "Não está morto quem peleia"
Pois é: Surpresas da vida. O menino adulto com enorme sensibilidade escreveu um conto.
Filho amado me sinto feliz por ter lido teu conto, sabendo que há muito tempo brotava em tua mente estórias que desejavas transformar em palavras.
Que possas encontrar sabedoria e ideias para persistir nessa continua caminhada de sonhos em realizações com as bênçãos de Deus.

Cledi Medeiros, Canoas rs 03/10/2019 - 12:50

A sensibilidade é algo que sempre foi encantador.a forma de trazer a realidade com um olhar mágico..
Em pequeno detalhes que traz a realidade com momentos em que o tempo para ..para podermos perceber a forma como nós faz vivenciar.. não somos espectadores, participamos e fizemos também parte ...das linhas descritas este é encantamento nós faz com que as palavras ..tecidas tenham vidas..
Prossiga quero muito ...ter um livro seu..
A arte é uma benção...

Jurema Vieira Gonçalves, Porto Alegre Rs 01/10/2019 - 18:00

Parabéns Eduardo Medeiros pela tua escolha de expressão com este conto lindo, com certeza de muita contribuição para a elevação energética desta humanide, e queremos mais disto
Gratidão gratidão
Grande abraço

Maristela Herrmann, Porto Alegre 29/09/2019 - 12:19

Que lindooooo! Me senti dentro da história! Como se fosse um fato real, cheio de emoção e sensibilidade. Rico em detalhes, nos mostra o sentimento profundo que por vezes escondemos. Parabéns Dudu! Sempre soube do teu talento, e este conto é só uma pequena mostra da tua grande capacidade de se expressar de uma forma tão linda! Que orgulho!!!

Maira Jucéli Bianchi Pellin, Porto Alegre - RS 28/09/2019 - 19:30

Que lindo!
Queremos mais!
Conseguiste colocar no papel emoção, sensibilidade, e motivação!

Helena, Porto Alegre 26/09/2019 - 16:11

Edu, lindo conto!
Soube que tinhas talento no momento em que li pela primeira vez.
Parabéns! !

Andréa, Porto Alegre 26/09/2019 - 11:47

Parabéns Eduardo, lindo conto. Palavras especiais, sensibilidade, criatividade e delalhes encantadores. Muito sucesso sempre. Grande abraço.

Cláudia S. B. Cardoso, Guaiba 25/09/2019 - 22:23

Talento, sensibilidade e empenho. Não tenho palavras para definir minha admiração! Sucesso sempre!

Patricia Lahiguera, Porto Alegre/Rs 25/09/2019 - 21:39

Edu, muito bonito o conto. Parabéns!

Sucesso!

Grande abraço.

Marcão, Porto Alegre/RS 25/09/2019 - 09:43

Parabéns Eduardo, adorei o conto, maravilhoso ! Viajei com a história, muita sensibilidade, parabéns e sucesso pra você querido, Deus lhe abençoe.

Adriana Marques Nunes, RS 25/09/2019 - 00:08

Eduardo, meu amigo! Que talento hein! Que delicadeza! Sentia e ao mesmo tempo visualizava cada movimento descrito no conto. Bahhh...adorei! Parabéns!!!!!&129321;

Fabiana Zambiasi, Canoas 24/09/2019 - 23:11

Parabéns Eduardo. Lindo conto. Amei.
Muito orgulho do colega e amigo. Sucesso.

Hedi kinas, Canoas/RS 24/09/2019 - 21:55

Estou sem palavras para descrever o que li, e ao mesmo tempo muito orgulhosa de conhecer um pouco mais essa pessoa com quem dividi sala de trabalho, por alguns anos.
Um talento despertando. Siga em frente o sucesso está logo ali te esperando.
Um grande e afetuoso abraço.
Obrigada por compartilhar.

Jussara Benvenutti, Canoas 24/09/2019 - 21:53

Desconheço escritor melhor... mantém o foco e não deixa toda a fama expressa aqui subir pra cabeça careca que é sucesso!
O conto ficou excelente, embora não supere uma certa história sobre um Leão e sua juba.
Abraço!

Vinícius, Canoas/RS 24/09/2019 - 21:12

Uma linda poesia só poderia vir de uma pessoa tão especial e sensível como você Eduardo! Parabéns pela forma tão bela que expressastes o amor na simplicidade!! Um forte abraço!

Eliana Scherner, Porto Alegre/RS 24/09/2019 - 20:33

Parabéns Eduardo lindo texto.

Com certeza fazer o que se ama

O resultado é lindo assim.

Parabéns e Sucesso! Só o começo com certeza.

Abraço

Dai

Daiane, Canoas 24/09/2019 - 19:31

Eduardo, parabéns!

Estou orgulhosa. A arte faz parte

de ti. Músico e agora escritor.

Um Conto marcado pela

emoção. Sucesso.

Vanda Maria Viegas Bento, Porto Alegre-Rs 24/09/2019 - 19:23

Quando as inclinações artísticas são sentidas e finalmente externadas, este é um momento a ser celebrado. Continue com afinco neste seu novo meio de expressão, Eduardo! Primeiro com a música; agora com as palavras.

Zózimo Rech, CANOAS 24/09/2019 - 18:11

Que lindo, sensível e tocante conto!!
Demonstra com palavras, o ser sensível e de Luz.

Miriam Dani, Porto Alegre 24/09/2019 - 18:08

Parabéns pela sensibilidade.
Escrever é sempre uma arte!

Andréia, Canoas 24/09/2019 - 17:55

Eduardo Medeiros é uma pessoa espetacular. Amigo querido, artista sensível e criativo, com musicas e contos emocionantes, que tocam à alma e coração. Parabéns!

Margarida Correa, Porto Alegre/RS 24/09/2019 - 17:51

Sensacional, Abraço

Luiz Carlos Rodrigues, Canoas,RS 24/09/2019 - 17:37

Conto muito tocante e bonito.
Que orgulho desse escritor tão querido por todos nós.

Parabéns mais uma vez!!!

Larissa, Canoas/RS 24/09/2019 - 17:34

Envie seu comentário

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação:
Repita os caracteres "571803" no campo.