Poesias

Relendo a vida

Mario Braga


Num dia bem frio de Julho

Algum tempo lá pra trás

Nasci, sem pedir pra nascer

Sem direito a retornar.

Cresci sem saber para que

Sem poder imaginar

Como iria sobreviver

A tanta, tanta cobrança

Foi tudo tão apressado,

Tão duro, sofrido, forçado

Que quase não soube

Como era ser criança.

E aí, num lento repente

Me descubro adolescente

Num mundo mutante

Protestos, sequestros e algumas esperanças.

Para ser independente

Enfrentei montes de gente

Parti por outros caminhos

Quiz viver minhas mudanças.

Li Vinicius e Bandeira

Pessoa e outras pessoas

Com eles chorei muitas noites

Gargalhei madrugadas com elas!

Fui testando meus limites

Cruzei mares e fronteiras

Encontrei, desencontrei, muito amei e odiei

Fiz disso poemas e algumas desfeitas.

Morri dos meus muitos amores

Outros tantos matei em despedidas

Por vezes, sim, me arrependi

Mas enfim, isso é a vida...

Hoje, sem sustos, revejo

E ao passo de tantos passos

Me dou conta de onde cheguei

Onde nunca imaginei!

Das portas do meu passado

Vejo a mim mesmo a meu lado

Sendo o que fui, sonhando

Ser o mesmo eu sonhado.

***

Sobre o autor: Nasci no meio do ano do meio do século passado, em primeiro de julho de 1951. Formado em Administração, trabalhei no mercado financeiro, no auge da Bolsa de Valores - anos 70. Em 1977 encontrei um primeiro caminho para fora do Brasil, mudando o rumo profissional para a linha de negócios internacionais. Com isso conheci praticamente todos os países da América Latina, pedaços da América do Norte e Europa e um pouco da África. Aposentei-me em 2016. Encontrei um novo sentido para a vida trabalhando com o MSF (Médecins Sans Frontières) a partir de 2017. De repente, comecei a resgatar as angústias adolescentes de escrever e voltar a sonhar.

 

 

 

Comentários:

Prezado Sr Mário,
Também nasci nos meados do século passado. Ainda pela manhã conversava com meu filho sobre o que é a vida, como enfrentá-la, sobre a rapidez que passa...ao mesmo tempo que que lia algumas poesias postas à disposição pela "Oficina Literária" e li a sua. Parabéns pela forma autêntica,de em versos, dizer como foi a sua.

Maria Theresinha Gonçalves Mattos, Florianópolis/Sc 01/07/2019 - 12:30

Envie seu comentário

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação:
Repita os caracteres "321512" no campo.