Diálogos
 



Contos

Diálogos

Juliano Barreto Rodrigues




- Mas o que você tá querendo, mulher?

- Ah, sei lá, o Carlos me ofereceu o carro novo, um apartamento e uma pensão mensal, mas quer ficar com a casa.

-Tá! Então, o que você quer?

- Quero a casa. Nem gosto muito dela, mas não vou deixar ele morar lá com aquela vagabunda. De jeito nenhum! Esse gostinho não vou dar pra eles.

- Mas se não é o melhor pra você e seus filhos, por que não abre mão disso?

- Filhos? Que filhos o quê. Vou mandar tudo pra casa do pai. Acha que vou ficar presa em casa? Ele que se vire pra cuidar, vamos ver se aquelazinha vai aguentar. Não foi ele que quis sair? Então leve a mala.

- Pô, como você é cabeça dura. Seria bem mais fácil fazer tudo de forma amigável. Até porque, há muito tempo, você não quer saber mais dele... Não dificulte, né querida!

- Já decidi. Só assino a porcaria do divórcio se ele me der a casa. E quero uma pensão bem gorda, não vou mudar meu estilo de vida. Puta merda, nunca esperava isso dele: tão pamonha, pegou a vizinha bem debaixo do meu nariz. Eu, inocente, achando que ele só queria saber de trabalho.

- Certo. E nós, como ficamos?

- Para, né?! Tô falando de coisa séria e você apertando meu peito. Tá pensando o quê? Vamos continuar do mesmo jeito de sempre. Até porque, você é sócio dele e não quero ver minha mina secar. Se quiser é assim. Continue bem casado e faça ele me dar logo a casa.


Cadastre-se no portal Escrita Criativa para receber dicas de escrita, artigos e informações de concursos

 

 

Comentários:

Envie seu comentário

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação:
Repita os caracteres "175301" no campo.