Poesias

Da loucura


Ah...
O dom da quixotice!
Ser vente, ser vante,
Do ideal servido e servidor
Tresloucado, transfigurante.

Brasil, culpas, Braz Cubas
Macunaíma rico e sincero,
O fracasso do porvir,
Desdenhando do fim funéreo.

Poesia-teatro de apaixonados
De Bergerac, Cyrano inspirado.
Amor sem limites, visto de baixo
Ou de cima do penacho.

E todos nós, na luta banal,
Morte e vida severina,
Aguando a seca de fé fraternal,
Perdidos e mal pagos,
Num poema de João Cabral.

Sonhadores temos poucos,
Sãos, demasiado,
Fantasias são para loucos,
Para o resto, resta o fado.


Marcio Furrier